NASA: Existe vida em Marte, mas as pessoas não estão prontas para descobrir?

Imagem
  Durante muito tempo, foram reveladas diferentes teorias que sugerem que, em algum momento da história, existiu vida em Marte.  Outros ainda vão mais longe alegando que ainda existe.  Mas... O que acontece quando quem alega que não só existe, mas que as pessoas não estão preparadas para conhecê-lo, é a NASA? Jim Green  , diretor de ciência da NASA, fez algumas declarações  bastante controversas  nos últimos dias.  Estes estão relacionados a  Marte  e à possível existência de vida no planeta vermelho. Dessa forma, confirma-se a possibilidade de que o que antes era considerado uma hipótese, mesmo minimizando-a como simples ficção científica, seja algo  muito mais real  do que se acredita. Vida em Marte: a NASA confirma isso? O diretor científico da NASA, Jim Green, deu algumas declarações recentemente que causaram muita polêmica. O especialista acredita que é mais provável que a Agência Espacial Europeia já tenha descoberto evidências de  vida extraterrestre  em Marte há alguns meses. N

A Força Espacial dos EUA confirma que um objeto interestelar caiu no Pacífico

Um objeto de outro sistema estelar caiu na Terra em 2014, confirmou o Comando Espacial dos Estados Unidos (USSC) em um memorando recém-lançado.

Informações secretas confirmam primeiro objeto interestelar que caiu na Terra
Imagem meramente ilustrativa.

O objeto se acendeu em uma bola de fogo nos céus perto de Papua Nova Guiné, afirma o memorando, e os cientistas acreditam que possivelmente espalhou detritos interestelares no Oceano Pacífico Sul. A confirmação apoia a descoberta inovadora do primeiro meteoro interestelar – e, retroativamente, o primeiro objeto interestelar conhecido de qualquer tipo a atingir nosso sistema solar – que foi inicialmente sinalizado por um par de pesquisadores da Universidade de Harvard em um estudo publicado no servidor de pré-impressão. arXiv em 2019.

Amir Siraj, um estudante de astrofísica em Harvard que liderou a pesquisa, disse que o estudo aguarda revisão por pares e publicação há anos, mas foi prejudicado pelas estranhas circunstâncias que surgiram da pura novidade da descoberta e dos obstáculos colocados pelo envolvimento de informações classificadas como secretas pelo governo dos EUA.

A descoberta do objeto, que media apenas alguns metros de largura, segue detecções recentes de dois outros objetos interestelares em nosso sistema solar, conhecidos como ‘Oumuamua e Cometa Borisov, que eram muito maiores e não entraram em contato próximo com a Terra.

Siraj, diretor de estudos de objetos interestelares do Projeto Galileo de Harvard, disse em uma ligação tefelônica:

“Eu me divirto só de pensar no fato de que temos material interestelar que foi entregue à Terra e sabemos onde está. Uma coisa que vou verificar – e já estou conversando com as pessoas – é se é possível vasculhar o fundo do oceano na costa de Papua Nova Guiné e ver se conseguimos algum fragmento.”

Siraj reconheceu que as chances de tal descoberta são baixas, porque quaisquer remanescentes da bola de fogo explodida provavelmente caíram em pequenas quantidades em uma região díspar do oceano, tornando difícil rastreá-los.

Ele observou:

“Seria um grande empreendimento, mas vamos analisá-lo com extrema profundidade porque a possibilidade de obter o primeiro pedaço de material interestelar é empolgante o suficiente para verificar isso minuciosamente e conversar com todos os especialistas mundiais em expedições oceânicas para recuperar meteoritos.”

Siraj e o co-autor do estudo Avi Loeb na Universidade de Harvard, foram inspirados a procurar por potenciais bolas de fogo interestelares após a descoberta de ‘Oumuamua, um objeto interestelar medindo cerca de um 400 metros que foi visto saindo do sistema solar em 2017. Loeb, que especulou que ‘Oumuamua pode ter sido uma peça de tecnologia alienígena, sugeriu que Siraj vasculhasse um banco de dados de bolas de fogo e impactos de meteoros administrado pelo Centro de Estudos de Objetos Próximos à Terra (de sigla em inglês, CNEOS) da NASA.

Existem quase 1.000 impactos registrados no banco de dados, mas uma bola de fogo que explodiu perto da Ilha Manus em 8 de janeiro de 2014 saltou aos olhos de Siraj devido a uma velocidade excepcionalmente rápida superior a 210.000 quilômetros por hora. Esse ritmo alucinante sugeriu uma possível origem do interior profundo de um sistema planetário ou de uma estrela no disco grosso da Via Láctea”, de acordo com o estudo da equipe de 2019.

Siraj disse:

“Foi muito rápido, então eu fiquei tipo: ‘Oh meu Deus, isso pode ser um meteoro interestelar.

Estava escondido à vista de todos. Não que tivéssemos que cavar para encontrar esse banco de dados. Era mais que não havia um objeto interestelar até 2017. Como resultado, ninguém tinha motivos para pensar que poderia haver meteoros de fora do sistema solar.”

Siraj e Loeb submeteram a descoberta ao The Astrophysical Journal Letters, mas o estudo ficou confuso durante o processo de revisão por falta de informações retidas do banco de dados CNEOS pelo governo dos EUA.

Alguns dos sensores que detectam bolas de fogo são operados pelo Departamento de Defesa dos EUA, que usa as mesmas tecnologias para monitorar os céus em busca de detonações nucleares. Como resultado, Siraj e Loeb não puderam confirmar diretamente a margem de erro na velocidade da bola de fogo.

Os dados secretos jogaram o papel no limbo enquanto os pesquisadores procuravam obter confirmação do governo dos EUA. Siraj chamou o processo de vários anos de uma “saga completa”, enquanto eles navegavam por um labirinto burocrático que serpenteava pelo Laboratório Nacional de Los Alamos, NASA, e outros braços governamentais, antes de finalmente pousar na mesa de Joel Mozer, Cientista Chefe do Comando de Operações Espaciais do componente de serviço da Força Espacial dos EUA do USSC.

O memorando recém-lançado, datado de 1º de março deste ano, revela que Mozer finalmente confirmou que a estimativa de velocidade relatada à NASA é suficientemente precisa para indicar uma trajetória interestelar”. Siraj descobriu os resultados esta semana devido a um tuíte de um cientista da NASA e agora está renovando os esforços para publicar a descoberta original para que a comunidade científica possa acompanhar pesquisas mais direcionadas sobre as implicações da descoberta.

Por exemplo, Siraj observou que qualquer informação sobre a luz emitida pelo objeto enquanto queimava na atmosfera poderia fornecer informações sobre a composição interior do visitante interestelar. De fato, os cientistas podem já ter vislumbrado o traço espectral de uma partícula de meteoro intergaláctico – sim, uma partícula de além da Via Láctea – de acordo com um estudo publicado em 2007.

Embora este fosse um objeto incrivelmente pequeno, indica que o sistema solar pode estar inundado de material de outros sistemas estelares e, de fato, até de outras galáxias, que podem ser encontrados em pesquisas futuras. Tais esforços podem oferecer um vislumbre dos mundos além do Sol aqui na Terra, e talvez até mesmo descobrir meteoritos interestelares genuínos.

Siraj advertiu:

“Dado o quão pouco frequentes são os meteoros interestelares, os meteoros extragalácticos serão ainda mais raros. Mas o fato é que, daqui para frente, não encontraremos nada a menos que procuremos. Podemos muito bem assumir como cientistas a construção de uma rede tão extensa quanto a rede de sensores do governo dos EUA e usá-la para fins científicos e usar totalmente a atmosfera.

“A atmosfera já é um sensor para essas coisas. Nós simplesmente não estamos prestando atenção aos sinais. Então, podemos usar toda a atmosfera e ver o que vem em nosso caminho.”

(Fonte)

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…

GALERA AJUDA O BLOG COM UM PIX QUAL QUER VALOR É BEM VINDO (0,50.1 REAL, 2 REAIS ,3 REAIS ,5 REAIS... )

                    fronteiraxoficial@gmail.com

                             OU 


https://www.youtube.com/channel/UCxv4QmG_elAo7eiKJAOW7Jg

ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. FRONTEIRAS X não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com éticasempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Reptiliano na TV nacional? A "transformação" ao vivo de um general

O Denunciante Phil Schneider É Encontrado Morto Após Revelar A Agenda Alienígena