Possível sinal de vida em Marte? NASA faz descoberta intrigante

Imagem
Desde seu pouso em Marte, o  jipe-sonda Curiosity  da NASA vem acumulando novas descobertas interessantes. Mas sua descoberta mais nova pode acabar sendo o santo graal das descobertas planetárias. O jipe-sonda Curiosity da NASA perfurou um buraco na Cratera Gale de Marte, e o pó desse buraco estava enriquecido em carbono-12. NASA/Caltech-JPL/MSSS. O robô do tamanho de um carro detectou recentemente uma assinatura de carbono em amostras de rochas da superfície de Marte. Essa mesma assinatura está associada a processos biológicos na Terra e pode indicar que há alguma forma de vida no Planeta Vermelho. Mas antes de chamar isso de assinatura da vida, os cientistas estão tentando entender o que mais pode estar por trás do carbono em Marte. Evidências crescentes sugerem que Marte pode ter sido habitável em algum momento de seu passado, com água em sua superfície e temperaturas mais quentes. Os resultados foram detalhados em  um estudo  publicado terça-feira no   Proceedings of the National A

Que mensagens já enviamos aos alienígenas?

No início do século XIX, o astrônomo austríaco Joseph Johann Von Littrow propôs seriamente que os humanos cavassem trincheiras configuradas em vastos padrões geométricos no deserto do Saara, enchendo-as de querosene e acendendo-as. A ideia era enviar uma mensagem clara às civilizações alienígenas que viviam em outras partes do sistema solar: “Estamos aqui”.


Frank Drake, o fundador do SETI, está sentado ao lado de um vitral da Mensagem de Arecibo em sua casa em Aptos, Califórnia, em 2015. (Crédito da imagem: The Washington Post/Colaborador via Getty Images)

Von Littrow nunca viu sua ideia se concretizar. Mesmo assim, muito depois dele ter proposto seu plano ambicioso, não impedimos nossas tentativas de contato com vida extraterrestre.

Então, que mensagens enviamos aos alienígenas?

O rádio concretizou as tentativas de declarar a existência da Terra. Em 1962, cientistas soviéticos apontaram um transmissor de rádio para Vênus e saudaram o planeta em código Morse. Essa introdução, a primeira de seu tipo, incluía três palavras: Mir (russo para ‘paz’ ou ‘mundo’), Lenin e SSSR (acrônimo do alfabeto latino para o nome cirílico da União Soviética). A mensagem foi considerada amplamente simbólica, de acordo com um artigo de 2018 publicado no International Journal of Astrobiology. Mais do que tudo, foi um teste para um radar planetário totalmente novo, uma tecnologia que envia ondas de rádio para o espaço, com o objetivo principal de observar e mapear objetos no sistema solar.

Em termos de distância, a próxima tentativa de alcançar ETs foi muito mais ambiciosa. Em 1974, uma equipe de cientistas, incluindo os astrônomos Frank Drake e Carl Sagan, transmitiu uma mensagem de rádio do Observatório de Arecibo em Porto Rico para Messier 13, um aglomerado de estrelas a cerca de 25.000 anos-luz de distância. A imagem, enviada em código binário, mostrava uma figura humana palito, uma estrutura de dupla hélice de DNA, um modelo de um átomo de carbono e um diagrama de um telescópio.

Douglas Vakoch, psicólogo e presidente da Messaging Extraterrestrial Intelligence (METI) disse ao Live Science:

“A mensagem de Arecibo tentou dar um instantâneo de quem somos como seres humanos na linguagem da matemática e da ciência.”

A mensagem de Arecibo foi, literalmente, um tiro no escuro. Levará cerca de 25.000 anos-luz para chegar até Messier 13 – ponto em que o aglomerado de estrelas terá se movido, de acordo com o Departamento de Astronomia da Universidade Cornell. Os alienígenas hipotéticos ainda podem ser capazes de detectar o sinal conforme ele passa zunindo – ele tem 10 milhões de vezes a intensidade dos sinais de rádio do nosso Sol. (O Sol emite um amplo espectro de radiação eletromagnética – do ultravioleta ao rádio.) Mas isso é improvável, disse Seth Shostak, astrônomo do Instituto de Busca por Inteligência Extraterrestre (SETI).

Shostak disse ao Live Science:

“Foi, em certo sentido, a mensagem mais poderosa. É como uma placa de propaganda gigante na [interestadual dos EUA] I-5, mas está em um campo em algum lugar.”

Mais recentemente, o rádio tem sido usado para transmitir de tudo, desde arte a anúncios. Em 2008, Doritos transmitiu seu próprio anúncio para um sistema solar na constelação da Ursa Majoris, a cerca de 42 anos-luz de distância, de acordo com o artigo do International Journal of Astrobiology. Em 2010, uma mensagem escrita em Klingon, uma linguagem usada por alienígenas fictícios no universo Star Trek, convidou alienígenas reais para assistirem a uma ópera Klingon na Holanda.

Não contamos apenas com o rádio para nos comunicar; também lançamos espaçonaves contendo artefatos da Terra, na esperança de que eventualmente sejam retiradas do espaço interestelar por formas de vida inteligentes. As Voyagers 1 e 2 foram lançadas em 1977 para explorar os confins de nosso sistema solar e o espaço interestelar. Cada uma carrega um disco dourado contendo música, sons ambientais da Terra e 116 imagens de nosso planeta e sistema solar.

Que mensagens já enviamos aos alienígenas?
O disco dourado da Voyager (à esquerda) é um disco de cobre banhado a ouro de 12 polegadas. Sua tampa de alumínio galvanizado com uma amostra ultra-pura de urânio-238. (Crédito: NASA)

As espaçonaves Voyager ainda estão navegando pelo espaço interestelar, esperando para serem descobertas. Mas as chances de isso acontecer? “Zero”, disse Sheri Wells-Jensen, linguista da Bowling Green State University, em Ohio, que se especializou em inteligência extraterrestre.

Wells-Jensen disse ao Live Science:

“Foi apenas uma tentativa bela e poética, adorável e corajosa que realmente resumiu o melhor de nós, mesmo que seja inútil em termos de comunicação efetiva.”

Os especialistas concordam que a probabilidade de qualquer uma dessas tentativas chegar a civilizações alienígenas é baixa. Esse resultado depende, é claro, da existência de vida alienígena em nosso sistema estelar. Mas a vida em questão também teria que ouvir atentamente os sinais de rádio e entender o suficiente sobre matemática e ciências para interpretar nossas mensagens. Finalmente, as mensagens que enviamos tendem a presumir que esses alienígenas percebem o universo da mesma maneira que nós: com audição e visão.

Mas isso não significa que todas essas mensagens sejam inúteis.

Wells-Jensen disse ao Live Science:

“Estamos procurando. Por que eles não estariam procurando?

E se nossas mensagens forem ininteligíveis para esses seres hipotéticos? Isso está ok. Acho que a coisa mais importante que já dissemos é apenas que existimos.”

 GALERA AJUDA O BLOG COM UM PIX QUAL QUER VALOR É BEM VINDO (0,50.1 REAL, 2 REAIS ,3 REAIS ,5 REAIS... )

                              (65992639338)

                             OU 


https://www.youtube.com/channel/UCxv4QmG_elAo7eiKJAOW7Jg

(Fonte)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Reptiliano na TV nacional? A "transformação" ao vivo de um general

O Denunciante Phil Schneider É Encontrado Morto Após Revelar A Agenda Alienígena