Possível sinal de vida em Marte? NASA faz descoberta intrigante

Imagem
Desde seu pouso em Marte, o  jipe-sonda Curiosity  da NASA vem acumulando novas descobertas interessantes. Mas sua descoberta mais nova pode acabar sendo o santo graal das descobertas planetárias. O jipe-sonda Curiosity da NASA perfurou um buraco na Cratera Gale de Marte, e o pó desse buraco estava enriquecido em carbono-12. NASA/Caltech-JPL/MSSS. O robô do tamanho de um carro detectou recentemente uma assinatura de carbono em amostras de rochas da superfície de Marte. Essa mesma assinatura está associada a processos biológicos na Terra e pode indicar que há alguma forma de vida no Planeta Vermelho. Mas antes de chamar isso de assinatura da vida, os cientistas estão tentando entender o que mais pode estar por trás do carbono em Marte. Evidências crescentes sugerem que Marte pode ter sido habitável em algum momento de seu passado, com água em sua superfície e temperaturas mais quentes. Os resultados foram detalhados em  um estudo  publicado terça-feira no   Proceedings of the National A

Militares reformados confirmam: “OVNIs desativaram mísseis nucleares”

Um grupo de militares aposentados contou a repórteres na terça-feira (19) sobre incidentes perturbadores envolvendo bases de mísseis nucleares dos EUA e OVNIs.UFO Conspiracies: The Hidden Truth | Apple TV

Em alguns dos incidentes, disseram as testemunhas, uma nave desconhecida de alguma forma sabotou e desativou mísseis nucleares.

No encontro de terça-feira no National Press Club em Washington, D.C., pretendia-se chamar a atenção do Congresso. Testemunha após testemunha contaram aos repórteres sobre incidentes de resfriamento em múltiplas bases de mísseis nucleares, onde objetos ou aeronaves desconhecidos invadiram o espaço aéreo restrito, pairaram sobre silos ICBM e, de alguma forma, desativaram as armas.

Se a nação tivesse entrado em guerra durante qualquer um desses incidentes, as armas teriam ficado inoperantes.

O capitão aposentado da Força Aérea, Dave Shindele, disse:

“Em setembro de 1966, eu era oficial de controle de lançamento do ICBM Minuteman e subcomandante de uma grande tripulação estacionada na Base Aérea de Minot, Dakota do Norte. Eu estava envolvido em um incidente de OVNI naquela época, onde um objeto voador adulterou e derrubou um total de 10 mísseis ICBM de ogiva nuclear, tornando-os inacessíveis.”

Em cada um dos incidentes descritos pelas testemunhas, o pessoal da Força Aérea foi ordenado a ficar quieto e esquecer o que aconteceu.

Um dos homens que falou no evento de terça-feira foi Robert Jacobs, um ex-oficial da Força Aérea encarregado de um esquadrão de grupo de instrumentação ótica de foto na Base Aérea de Vandenberg, na Califórnia. Ele contou sua história de quando ajudou na instalação de um grande telescópio no topo de uma colina em Big Sur.

Jacobs disse que o telescópio e a câmera de filme foram usados ​​para registrar o lançamento de um míssil de teste nuclear. Ele disse que o teste correu bem e que todos no local ficaram satisfeitos.

Mas dois dias depois ele foi chamado a um escritório onde um major e dois outros homens em ternos cinza estavam parados. Jacobs disse que lhe mostraram o filme do telescópio que ele ajudou a montar. O filme mostrou o lançamento do míssil na atmosfera. Jacobs disse que o filme então mostrou o nariz do míssil se abrindo e dispersando o chaff (palha metálica usada como contramedida) e atirando a ogiva falsa através e acima do chaff.

Jacobs disse que neste ponto a ogiva estava voando a quase 8.000 mph (12.000 km/h). Foi quando ele disse que viu no filme o que parecia ser um disco voador tradicional se aproximando da ogiva lançando um feixe de luz de diferentes ângulos. A nave então saiu do quadro e a ogiva caiu para fora do quadro.

Jacobs então contou o que aconteceu a seguir:

“As luzes se acenderam. O Major Manson olhou para mim. Os dois caras de terno olharam para mim.

O Major Manson disse: ‘Vocês estavam bagunçando lá em cima?’

E eu disse: ‘Não, senhor’.

Ele disse: ‘Então o que foi isso?’

Eu disse: ‘Parece-me que temos um OVNI.’

Manson disse: ‘Você nunca deve dizer isso de novo. Para você, isso não aconteceu. Você entendeu?’

Eu disse: ‘Sim, senhor.’

Ele me acompanhou até a porta de seu escritório e disse: ‘Agora, não preciso lembrá-lo da gravidade de uma violação de segurança, preciso ?’

Eu disse: ‘Não, senhor.’

Ele disse tudo bem e você está dispensado. Mas quando eu saí, ele se inclinou para falar nos meus ouvidos para dizer algo que os caras dos ternos não puderam escutar.

Ele disse: ‘Tenente, se você for torturado no futuro, alguém o pressionar contra a parede e está fritando suas partes íntimas com fogo, você pode dizer isso a ele, só para sair dessa. Basta dizer a ele que era rastreamento a laser.’

Não tínhamos rastreamento a laser em 1964.”

Os homens de terno cinza cortaram o trecho do filme que mostrava a nave do resto do carretel, o pegaram e deixaram o escritório. Jacobs nunca mais viu aquele filme.

O investigador e autor de longa data, Robert Hastings, disse que já há muitas evidências para provar o ponto.

Em 27 de setembro de 2010, Hasting realizou sua primeira coletiva de imprensa OVNIs e armas nucleares em Washington D.C. no mesmo local da última. Naquela entrevista coletiva, sete veteranos discutiram incidentes ainda classificados envolvendo OVNIs que desligaram mísseis nucleares durante a era da Guerra Fria.

Em 2016, Hasting entrevistou mais de 150 testemunhas que relataram invasões de OVNIs em instalações nucleares, incluindo bases de mísseis balísticos intercontinentais (de sigla em inglês, ICBMs) onde mísseis nucleares foram de alguma forma desativados durante os encontros.

Hastings disse que documentos do governo confirmam que as testemunhas não estão exagerando.

Ele disse:

“Também houve centenas de documentos divulgados por meio da Lei de Liberdade de Informação que confirmam até certo ponto o que essas pessoas estão dizendo. As incursões de OVNIs em locais nucleares em geral se tornaram comuns, os militares sabem muito bem que continuarão e decidiram muito claramente que o público deve ser mantido no escuro sobre tudo isso.”

Em 1955, 14 bombas atômicas foram detonadas como parte da Operação Teapot no local de teste de Nevada, testemunhado por milhares de militares nas trincheiras e por milhares de funcionários do local de teste. Mas também havia outros observadores.

Um ex-fotógrafo do local de teste disse:

“Era o que chamávamos de discos voadores. Eles eram muito comuns no local de teste naquela época.”

Pelo menos uma dúzia de ex-funcionários do local de teste contaram histórias semelhantes sobre aeronaves desconhecidas que apareceram horas ou dias após uma explosão atômica.

Além dos relatos de testemunhas oculares, milhares de páginas de documentos anteriormente classificados como secretos foram liberados para reforçar essas histórias. Um pedido pela Lei de Liberdade de Informação protocolado em 1992 produziu uma espessa pilha de documentos do Departamento de Energia (DOE), indicando incidentes com OVNIs em todas as principais instalações de armas atômicas datando do final dos anos 1940, no laboratório nacional de Los Alamos, onde as bombas foram projetadas, e sobre Hanford, onde o plutônio foi processado. Mas o DOE não tem registros de quaisquer avistamentos oficiais sobre o que mais tarde se tornou o local de teste de Nevada. Hastings, entretanto, descobriu muitos.

O governo encerrou os testes de armas atômicas anos atrás, mas os incidentes em Nevada continuam. Os ex-oficiais de segurança na Área 2 da Base da Força Aérea de Nellis, durante anos uma instalação de armazenamento para até 200 ogivas nucleares, relataram múltiplas intrusões por aeronaves desconhecidas do final dos anos 1990 até 2004.

Quando Hastings é questionado sobre quem está por trás desses incidentes e por que, ele responde:

“Quem sabe qual é a motivação deles?”

Incidentes semelhantes foram relatados no Reino Unido, Índia, Paquistão e outras potências nucleares.

(Fonte)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Reptiliano na TV nacional? A "transformação" ao vivo de um general

O Denunciante Phil Schneider É Encontrado Morto Após Revelar A Agenda Alienígena