O maior vulcão ativo do Japão entra em erupção, juntando-se a La Palma. A previsão de Edgar Cayce dos pólos da Terra se tornando realidade?

Imagem
Na noite de 20 de outubro de 2021, teve início a erupção de um dos maiores vulcões do mundo, o vulcão Aso.  Ele está localizado na ilha de Kyushu, no sudoeste do país.   A coluna de fumaça e cinzas atingiu uma altitude de 3.500 metros.  Uma ejeção de pedras vulcânicas a uma distância de um quilômetro foi registrada e os meteorologistas alertam para o perigo de rochas serem lançadas e fluxos piroclásticos até dois quilômetros de distância. O nível de perigo também foi elevado para o terceiro de cinco possíveis, o que significa a proibição de se aproximar e escalar a montanha. Sabe-se que o vulcão Aso consiste em uma cadeia vulcânica, em que uma das mais ativas é Nakadake.  Durante a erupção de 1953, 90 pessoas ficaram feridas.  Em 1958, a erupção matou 12 pessoas e, em 1979, durante outra erupção explosiva, 3 pessoas morreram. A largura máxima da Ilha Kyushu é de 200 quilômetros, enquanto o diâmetro médio de uma pluma do manto na Terra é geralmente de 500 quilômetros.  Portanto, podemos

A experiência mística de Napoleão dentro da Grande Pirâmide de Gizé

Você sabia que Napoleão Bonaparte teve uma experiência mística dentro da Grande Pirâmide de Gizé?

A experiência mística de Napoleão dentro da Grande Pirâmide de Gizé

A Batalha das Pirâmides por François-Louis-Joseph Watteau, 1798-99.

Quando alguns de seus homens de maior confiança perguntaram a Napoleão o que havia acontecido dentro da Pirâmide, Napoleão respondeu:

“Mesmo que eu te contasse, você não acreditaria em mim.”

Diz-se que uma noite de agosto de 1799 mudou o curso da história mundial quando Napoleão Bonaparte estava dentro da Grande Pirâmide de Gizé, tendo acesso a um segredo que alteraria para sempre o destino de Napoleão.

Se olharmos para trás na história, descobriremos que, no verão de 1798, mais de trinta mil soldados franceses chegaram ao Egito sob o comando do general Bonaparte.

Sua missão oficial era libertar o país do Nilo de três séculos de domínio turco e, incidentalmente, bloquear a navegação livre dos ingleses com suas colônias orientais.

No entanto, o jovem Napoleão fez algo que nenhuma outra pessoa fez: levou consigo mais de cem estudiosos de todas as disciplinas para estudar, escrever e copiar tudo o que pudessem da terra dos Faraós. Templos, tumbas, múmias, túneis, tesouros pródigos e as pirâmides sagradas se abrem, revelando ao mundo uma história fascinante.

Na verdade, foi através da expedição de Napoleão, que foi tão militar quanto científica, que o continente europeu redescobriu os tesouros perdidos do antigo Egito e até encontrou uma chave que permitiu ao mundo inteiro entender o que os antigos egípcios escreveram há milhares de anos.

Enquanto um dos soldados de Napoleão cavava uma trincheira ao redor da fortaleza medieval de Rachid, ele encontrou por acaso um dos mais importantes artefatos egípcios da história: a pedra de Roseta que ajudou os estudiosos a finalmente decifrarem os hieróglifos egípcios.

A pedra de Roseta foi escrita em três versões: hieroglífica, demótica e grega. A partir dos escritos gregos, os pesquisadores finalmente conseguiram encontrar uma equivalência em hieróglifos e estabelecer uma espécie de código para ler textos egípcios antigos.

No entanto, a campanha de Napoleão ao Egito também serviu a uma busca espiritual para a terra que havia perturbado a imaginação de grandes personagens da história antes dele.

Como muitos de seus contemporâneos, Napoleão foi atraído pelo exotismo oriental e já havia lido uma obra muito popular até então, “A Viagem ao Egito e à Síria” de Constantin Volney, publicada em 1787, que contava os inúmeros mistérios das civilizações da região.

Durante sua campanha, Napoleão viajou para a Terra Santa e enfrentou o exército turco e, aliás, descansou por uma noite em Nazaré. Esta viagem ocorreu em 14 de abril de 1799.

Durante o mesmo ano, em agosto, Napoleão voltou ao Cairo quando decidiu que dormiria dentro da Grande Pirâmide de Gizé.

Ele foi acompanhado à Câmara do Rei, que na época era de difícil acesso, com passagens pequenas e difíceis que não alcançavam nem um metro e meio de altura, complicadas sem dúvida pela falta de luz que algumas tochas não resolviam.

A Câmara do Rei está localizada no interior da Pirâmide e é uma sala retangular com cerca de 10 metros de comprimento e 5 metros de largura, formada por lajes de granito, paredes e teto liso, completamente sem decoração, e contém apenas um sarcófago de granito vazio sem quaisquer marcas, ali depositado durante a construção da pirâmide, uma vez que é muito grande para caber nas passagens.

O Grande Napoleão passou cerca de sete horas dentro da Grande Pirâmide e apenas ao amanhecer ele “saiu da pirâmide” pálido e assustado.

Quando alguns de seus homens de maior confiança perguntaram a Napoleão o que havia acontecido dentro da pirâmide, Napoleão respondeu: “Mesmo que eu te contasse, você não acreditaria em mim”.

Acredita-se que a noite que Napoleão passou dentro da Grande Pirâmide mudou sua vida para sempre.

Mesmo tendo voltado derrotado à França, politicamente falando, Napoleão conquistou grandes vitórias nos meses seguintes. Ele conseguiu acabar com o governo da Revolução Francesa.

Curiosamente, de acordo com Peter Tompkins em seu clássico “Segredos da Grande Pirâmide”,Bonaparte queria ser deixado sozinho na Câmara do Rei, como Alexandre o Grande antes dele.

Obcecado ao longo de sua carreira com outras figuras históricas importantes, Napoleão tentou imitar os passos de Alexandre o Grande e Júlio César, que supostamente também passou uma noite sozinho na câmara, enquanto procurava um propósito maior.

Lamentavelmente, tudo o que Napoleão experimentou e viu entre as paredes da Câmara do Rei é um segredo que ele levou para o túmulo.

Inúmeras lendas foram formuladas sobre a experiência de Napoleão, incluindo uma que sugere que Napoleão teve algum tipo de visão em que se via como o maior imperador que já viveu no planeta.

A grande Pirâmide de Gizé é por si só um lugar místico e mágico. Passar a noite sozinho dentro da pirâmide é uma sensação inimaginável.

Passar a noite dentro desta imponente massa de pedra é para muitas pessoas uma ideia completamente maluca. Depois de algum tempo, o simples fato de respirar deve fazer um barulho terrível.

No entanto, como mencionado acima, Napoleão Bonaparte não foi o único “louco” a ousar.

Falando sobre a Grande Pirâmide, em sua biografia, o famoso ocultista 

relatou o seguinte:

“A Câmara do Rei brilhava como se tivesse o luar tropical mais brilhante. A lamentável e suja chama amarela da vela era como uma blasfêmia, e eu a apaguei. (…) De manhã esta luz astral tinha desaparecido completamente, e o único som que se ouvia era o bater de morcegos…”

Outros, no entanto, também relataram estranhas visões enquanto dentro da grande pirâmide.

Em 1930, o teosofista e espiritualista britânico Paul Brunton também descreveu coisas estranhas que aconteceram durante sua breve estada na Câmara do Rei.

Ele disse:

“Fui assaltado por visões de criaturas hostis e rodeado por ‘aparência ‘ de formas grotescas e demoníacas …”

Então … o que causa essas experiências misteriosas dentro da pirâmide? E é possível que haja uma “força maior” residindo dentro da pirâmide?

Curiosamente, os blocos de granito dentro da câmara real são um material capaz de conduzir eletricidade.

Trata-se principalmente de granito com alta concentração de cristais de quartzo, que comprovadamente possuem propriedades piezoelétricas; Na verdade, todos os objetos eletrônicos que conhecemos hoje contêm quartzo.

Os antigos construtores da pirâmide conheciam essas propriedades e podem tê-las utilizado de uma forma que desconhecemos hoje.

As misteriosas propriedades eletromagnéticas dentro da Câmara do Rei foram de fato provadas empiricamente. Certa ocasião, um dos visitantes que entrou na pirâmide recebeu um pequeno choque elétrico ao beber água de um copo de metal.

Além disso, os pesquisadores também relataram que as baterias de suas câmeras e equipamentos de pesquisa se esgotaram inexplicavelmente enquanto dentro da pirâmide.

Poderiam essas anomalias eletromagnéticas explicar as visões e experiências místicas enquanto dentro da Pirâmide? E seria possível que essas anomalias sejam evidências de que a grande Pirâmide de Gizé não é uma tumba, conforme proposto pelos estudiosos tradicionais?

Outra teoria que tenta explicar o “poder” da Grande Pirâmide, é que sua forma geométrica confere à estrutura a capacidade de concentrar energia cósmica, o que, entre outras coisas, ajudaria a preservar o corpo do Faraó, depositado bem no centro da construção .

No entanto, nenhuma das três pirâmides de Gizé contém múmias. Isso levou muitos pesquisadores a proporem teorias sugerindo que as pirâmides não eram tumbas, mas sim gigantescas máquinas de energia.

GALERA AJUDA O BLOG COM UM PIX QUAL QUER VALOR É BEM VINDO (0,50.1 REAL, 2 REAIS ,3 REAIS ,5 REAIS... )

                              (65992639338)

                             OU 


https://www.youtube.com/channel/UCxv4QmG_elAo7eiKJAOW7Jg 

(Fonte)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Reptiliano na TV nacional? A "transformação" ao vivo de um general

O Denunciante Phil Schneider É Encontrado Morto Após Revelar A Agenda Alienígena